Categorias:

Cães de trabalho, conheça um pouco mais sobre

Imagem do avatar de
Publicado por Epuc Blog

Com o surgimento da domesticação dos animais, percebeu-se que os animais de estimação ganharam cada vez mais espaço dentro de casa, e não é à toa que hoje eles podem até ser tratados como crianças por seus mentores. Como todos sabemos, os cães existem há mais de 100.000 anos, e através da seleção artificial e múltiplos cruzamentos entre eles, surgiram diversas raças com diferentes características, tamanhos e personalidades.

Os cães foram muito importantes em combate no passado, e até hoje ganham esse prestígio ajudando dentro da segurança pública e em trabalhos que exigem ações específicas.

Durante esse processo entre os indivíduos, alguns traços sensoriais, como, por exemplo: olfato, paladar, audição, tato e visão permanecem. Esses recursos podem ser usados ​​para diferentes tarefas.

O comportamento desses animais é baseado totalmente nas experiências em que vivem, a chamada flexibilidade mental, que os leva a desenvolver confiança e desconfiança nas criaturas ao seu redor.

Se você tem o objetivo de treinar o seu animal, indicamos que você faça um Curso Online sobre adestramento, com o curso você garantirá a qualificação necessária para tal ato.

A história dos cães de trabalho

À medida que esses animais começam a fazer parte da comunidade, eles passam a ser treinados com o objetivo de usar todo o seu potencial como sendo um excelente auxiliar em determinadas atividades. Dentro dos países do hemisfério norte, as pessoas começaram a domesticar huskies como cães de trabalho.

De todas as características, alguns dizem que os cães são sensíveis e podem sentir quando as coisas não estão bem. Além disso, usando suas habilidades extremamente dóceis, eles têm grandes potenciais à reabilitação do paciente. Os cães treinados são usados ​​para esse fim, funcionam surpreendentemente bem em hospitais, terapia ocupacional e asilos.

Certas variedades são especialmente selecionadas para determinados fins. Por exemplo, no Brasil, os labradores são usados ​​para ajudar pessoas com deficiência visual. Após um treinamento, o animal aprende a acompanhar e orientar seu dono sem colidir com obstáculos ou entrar em situações perigosas.

Para pessoas com algumas dificuldades de movimento, os cães também podem ser treinados com o objetivo de encontrar objetos, desligar aparelhos elétricos e auxiliar em quedas dos pacientes, pois têm afinidade para entender os movimentos.

Como os cães aprendem a desempenhar essas funções?

Assim como nós, iniciar uma nova atividade ou aperfeiçoar essa habilidade requer muito treinamento. Os cães, embora capazes, também precisam de treinamento.

Você sabia que leva em média 2 anos para treinar um cão a reconhecer drogas? Os cães são treinados a partir das 4 semanas de idade, onde passam por um rigoroso processo de socialização, adaptação e testes para que possam reconhecer plenamente o seu ambiente e os comandos dos seus instrutores.

Todo bom trabalho precisa de uma recompensa, e é exatamente disso que um cachorro precisa. O reforço positivo geralmente está associado a brinquedos ou coisas que o cão associa a coisas boas, como guloseimas.

Há um lado ruim, o reforço negativo baseia-se em retirar algo que o cachorro gosta e reforçá-lo, se o comando não for executado corretamente, o “gatilho bom” não existirá até que o movimento seja concluído.

Cinco cães

1. Cães de faro

Pelos nomes dos alvos de seu trabalho, os animais precisam ter um olfato muito apurado, pois são usados ​​para encontrar pessoas enterradas, explosivos e materiais diversos, inclusive drogas. Eles precisam de muito treinamento e exposição a esses aromas antes que possam continuar sua busca.

Algumas raças são amplamente utilizadas dentro desses trabalhos, como por exemplo, o Golden Retriever, o Labrador Retriever e o Pastor Alemão e suas variantes, pois apresentam as melhores características para esse serviço, como temperamento forte e olfato apurado. Cães farejadores acostumados a encontrar drogas, eles precisam ser brincalhões, ágeis para escalar e entrar em locais de difícil acesso.

2. Cães de patrulha

Muitos cães são utilizados pela polícia de patrulhas, sejam a pé ou motorizadas, deslocamentos ou até como guias de detentos. Segundo os Cursos, eles causam grande impacto psicológico nas rondas dos policiais, tentando sempre minimizar o estresse com o objetivo de evitar o uso da força.

As principais raças utilizadas são: Pastor Alemão e o Rottweiler. Antigamente, o Pit Bull era usado como cão de patrulha.

3. Cães de Resgate e Salvamento

As funções de busca e resgate surgiram com o objetivo de encontrar e identificar as pessoas desaparecidas ou em fuga. No passado, nós tivemos guerras, os cães eram treinados com o objetivo de encontrar os soldados feridos e equipá-los até que alguém pudesse dar apoio. Logo depois, os cães foram amarrados ao trenó para resgatar o piloto que se perdeu na neve. Essa tarefa ainda está sendo feita hoje.

Os cães usados ​​pelos bombeiros vão seguir essa mesma linha que diz respeito ao olfato e à audição. Eles são projetados para caçar criaturas em florestas, solo enterrado, lama, água e muito mais. As raças escolhidas para este papel são geralmente Labrador Retrievers e Bloodhounds.

4. Cães de terapia

Hoje, os cães são conhecidos por terem um grande potencial terapêutico, então sua presença pode aliviar o estresse e nos deixar mais calmos. Diversos cães são treinados com o objetivo de fornecer apoio emocional a crianças doentes, deficientes ou autistas e idosos, e até entram em programas de tratamento de alguns pacientes para visitá-los no hospital. Qualquer cão de temperamento ideal, bem socializado e devidamente treinado pode ser utilizado para esta função.

5. Cães de serviço

Normalmente, os cães de serviço são usados ​​para guiar ou ajudar pessoas com deficiências físicas ou necessidades especiais. Esses cães fazem parceria com as pessoas que os “contratam” e são basicamente treinados para compensar a deficiência de seus donos.

O treinamento é focado em identificar um problema e ajudá-lo a superá-lo. No caso de um mentor com deficiência visual, um cão-guia pode ajudá-lo a se locomover e evitar que ele se machuque ou fique em uma situação perigosa.

Existem cães de assistência para quem sofre de convulsões que são treinados para reconhecer o início de uma convulsão, proteger e ajudar a prevenir lesões. Algumas raças usadas para esse trabalho são o Labrador Retriever e o Golden Retriever.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Certificado Cursos Online, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre cursos, educação e diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × quatro =